05-01-2016
Doclisboa apresenta este mês no Museu da Eletricidade: SUITE RIVOLTA – ISTO NÃO É UMA FINISSAGE de 9 a 31 de Janeiro

De 9 a 31 de Janeiro o Doclisboa apresenta um mês de programação associada à exposição Suite Rivolta, que inclui filmes, visitas guiadas com o colectivo de artistas Claire Fontaine e actividades para os mais jovens.

A programação de filmes apresentará quatro sessões da retrospectiva “I don’t throw bombs, I make films – Terrorismo, Representação”, e incluirá os filmes:

9 de Janeiro, 16:30

Bambule, Ulrike Meinhof, Eberhard Itzenplitz (real.), 1970, RDA, 90′ – filme escrito por Ulrike Meinhof para a televisão pública, pouco antes de a mesma entrar na clandestinidade por acção armada do Grupo Baader-Meinhof.

3000 Houses, Hartmut Bitomsky, 1967, RFA, 17′ – realizado na escola de cinema de Berlim, com participação de colegas de Bitomsky como Holger Meins (posteriormente membro do Grupo Baader-Meinhof), Harun Farocki entre outros.

16 de Janeiro, 16:30

United Red Army (The Young Man Was…, Part 1), Naeem Mohaiemen, 2012, Bangladesh, EUA, Japão, 70′ – O episódio da aterragem em Daca do voo JAL 472, sequestrado pelo Exército Vermelho Unido japonês, é apresentado numa sequência de suspense, tendo como ponto de partida as gravações das conversas entre os sequestradores e a torre de controlo.

23 de Janeiro, 16:30

Die Bleierne Zeit, Margarethe von Trotta, 1981, RFA, 106′ – ficcionando indirectamente a história de Gudrun Ensslin, do grupo Baader-Meinhof, morta na cadeia, em 1977, este filme reflecte a militância em luta armada no ponto de vista feminino, nas suas singulares dificuldades e contradições.

30 de Janeiro, 16:30

La Trinchera Luminosa del Presidente Gonzalo, Jim Finn, 2007, EUA, 60′ – Recriação de um dia na prisão de Canto Grande, no Peru, acompanhando guerrilheiras do movimento maoísta Sendero Luminoso, das marchas matinais aos cantos à hora de deitar.

A programação para o público mais jovem, dos 12 aos 15 anos de idade, terá lugar no dia 23 de Janeiro às 15:00, sendo constituída por um atelier que articula a exposição Suite Rivolta e a programação de cinema.

No dia 31 de Janeiro às 11h terá lugar uma visita guiada à exposição, com o colectivo artístico Claire Fontaine.

A 13ª edição do Doclisboa, que encerrou no passado dia 1 de Novembro, recebeu um total de 23393 espectadores (excluindo a programação para além das datas do festival).

Esta edição pautou-se pelo sucesso quer no plano quantitativo quer no plano qualitativo – ao nível da exigência e da qualidade de selecção dos filmes, e pertinência das retrospectivas. Ao longo de 10 dias o Doclisboa 2015 exibiu 236 filmes de 40 países, registando 43 estreias mundiais. Estes dados revelam assim que o Doclisboa continua a reforçar consideravelmente a sua imagem a nível internacional, onde realizadores e produtores reconhecem qualidade e prestígio para apresentarem os seus filmes pela primeira vez ao público.

A exposição “Suite Rivolta: o feminismo radical de Carla Lonzi e a arte da revolta”, com curadoria de Anna Daneri e Giovanna Zapperi, estará patente ao público até ao dia 31 de Janeiro de 2016, na Fundação EDP – Museu da Eletricidade.