17–09–20

18ª Edição Doclisboa | Abertura e Encerramento

Anunciamos as sessões de abertura e encerramento do Doclisboa’20.

A 18ª edição do festival abre com Nheengatu – A Língua da Amazónia, de José Barahona, uma estreia mundial que acontece na Culturgest e que conta com a presença do realizador. A sessão de encerramento fica a cargo de Paris Calligrammes, o documentário da realizadora alemã Ulrike Ottinger, estreado na última edição do Festival de Berlim. 

Nheengatu – A Língua da Amazónia leva-nos numa viagem pelo rio Negro, no rasto desta língua imposta às populações indígenas pelos primeiros colonizadores portugueses que desembarcavam no Brasil no século XV. Ao longo dos vários encontros com as comunidades locais que ainda falam esta língua, o realizador embate nas diferentes questões culturais, históricas e sociais que confrontam tradição e futuro.

Nheengatu – The Language of the Amazon
Realizado por José Barahona
2020| 114 min | Brasil, Portugal
Produzido por Carolina Dias (Refinaria Filmes) / Fernando Vendrell (David & Golias)

 

Em Paris Calligrammes, de Ulrike Ottinger, percorremos as memórias da realizadora sobre a exuberante Paris dos anos 60, onde viveu entre 1962 e 1969, revelando o encontro com tantos nomes incontornáveis dos mais diversos movimentos artísticos, como Jean-Paul Sartre, Simone de Beauvoir ou Jean Rouch, e com as questões políticas que pautaram aquele período, como a independência da Argélia e as revoltas estudantis de Maio de 1968, fundamentais na sua formação enquanto artista. Ottinger partilha um poético caleidoscópio de fotografias, narrativas e diário íntimo das suas experiências marcadas pelo cenário artístico e intelectual parisiense.

Paris Calligrammes
Realizado por Ulrike Ottinger
2019| 129 min | Alemanha, França
Produzido por Corina Ziller, Claire Lion

A próxima edição do Doclisboa decorre em seis momentos, ao longo de seis meses, com o primeiro a ter lugar já no próximo mês de Outubro, entre os dias 22 de Outubro e 1 de Novembro. A Retrospectiva que marca esta edição, anunciada no passado mês de junho,  é dedicada ao cinema da Geórgia, sob o mote A Viagem Permanente – O Cinema Inquieto da Geórgia.  A programação já está disponível no nosso site e pode ser consultada aqui.