10–12–20

Eis os filmes nomeados para o Prémio Doc Alliance 2020

A Doc Alliance promove, uma vez mais, a selecção Doc Alliance: 7 filmes nomeados ao Prémio homónimo, seleccionados pelos membros que compõem a rede internacional de festivais de cinema: Doclisboa (Portugal), CPH:DOX (Dinamarca), Docs Against Gravity (Polónia), FID Marseille (França), Jihlava IDFF (Rep. Checa), DOK Leipzig (Alemanha) e Visions du Rèel (Suíça).

Devido à pandemia da Covid-19, o Prémio Doc Alliance é entregue, este ano, em Dezembro, num evento online e não na habitual cerimónia no Doc Brunch do Marché do Filme do Festival de Cannes. Tal como em anos anteriores, os 7 festivais da rede nomeiam uma primeira ou segunda obra europeia ao concurso para o Prémio Doc Alliance, que atribuirá 5 mil euros para o desenvolvimento de um filme seguinte. 

O nomeado do Doclisboa é Fantasmas: Caminho Longo para Casa, de Tiago Siopa, produzido pela Primeira Idade. No filme, o realizador mergulha no universo da família paterna, na sua aldeia natal, procurando e revelando os fantasmas e as superstições que a habitam. Fantasmas: Caminho Longo para Casa fez parte do Arché – Espaço de Desenvolvimento Criativo da Apordoc, em 2018, sob a tutoria de Andrés Duque, vencendo o Prémio RTP para melhor projecto. Teve estreia mundial no Doclisboa em 2019, na competição portuguesa e estreia internacional no Festival de Documentário de Jihlava, onde venceu o Prémio de Melhor Filme da Competição de primeiras obras, First Lights.

O júri Doc Alliance, composto por 7 críticos de cinema, é igualmente nomeado pelos festivais. Este ano, o Doclisboa convidou Cláudia Marques Santos, jornalista e crítica de cinema da Revista Visão, a integrar o corpo de jurados.

O vencedor do Prémio Doc Alliance será anunciado numa sessão online dia 14 de Dezembro às 17:00 horas, que contará com a presença dos directores dos sete festivais, os nomeados e o júri. A cerimónia de entrega do prémio será realizada por zoom meeting e transmitida em directo no Facebook.  

A Doc Alliance é uma rede internacional, iniciativa de sete festivais de cinema documental europeus, à qual o Doclisboa se juntou em 2013, que tem como objectivo apoiar o cinema documental independente Europeu.

 

Selecção Doc Alliance 2020

Nomeado pelo festival Doclisboa:

Fantasmas: Caminho Longo Para Casa / Ghosts: Long Way Home
De Tiago Siopa
Produção: Primeira Idade, Portugal, 2019
Depois de uma bruxaria com a Avó de Longe, o filho mais velho de uma pequena família encontra o fantasma da sua falecida Avó Maria na antiga casa dela e eles conversam como dantes.

 

Nomeado pelo festival CPH:DOX:

Undertrykkelsens sang / Songs of Repression
De Marianne Hougen-Moraga & Estephan Wagner
Produção: Final Cut for Real, Dinamarca, 2020
Nas montanhas andinas do Chile, existe uma idílica colónia alemã chamada Villa Baviera. No entanto, a beleza do lugar, antigamente conhecida como Colonia Dignidad – esconde-se um passado sombrio. Abuso sistemático de crianças, experiências médicas, câmaras de tortura e valas comuns são parte da sua história. Hoje, 120 pessoas ainda habitam o lugar que é hoje dominado pelo fanatismo religioso e pelo conservadorismo extremo. Songs of Repression explora as estratégias destes habitantes para lidar com esses traumas.

 

Nomeado pelo festival Docs Against Gravity:

Lekcja miłości / Lessons of Love
De Małgorzata Goliszewska, Kasia Mateja
Produção: Widok, Polónia, 2019
Jola é um espírito-livre, depois de ter fugido do pesadelo que era o seu casamento, sai com as amigas e vê-se envolvida num novo romance, numa aula de danças latinas. O drama instala-se quando o poder conservador da sua geração tenta justificar o comportamento abusivo do seu marido. Uma viagem cinematográfica através da luta de uma mulher para se reinventar nos melhores anos da sua vida – aos 69. 

 

Nomeado pelo festival FIDMarseille:

Chanson triste / Sad Song
De Louise Narboni
Produção: Mélodrama, França, 2019
Durante um ano, a cantora barroca parisiense Elodie Fonnard resolveu cuidar de Ahmad, um jovem refugiado que foi para França para salvar a vida. Perante a câmera de Louise Narboni, Elodie e Ahmad reencenam a sua vida juntos. 

 

Nomeado pelo festival Jihlava IDFF:

Vlci na hranicích / Wolves on the Borders
De Martin Páv
Produção: Frame Films, República Checa, 2019
Depois de mais de 200 anos, lobos regressam às florestas da região de Broumov (República Checa). Alguns habitantes locais, saúdam o seu regresso. Acreditam que eles podem restaurar o equilíbrio natural da região, atenuando os efeitos catastróficos da seca. Mas agricultores e pastores veem estes animais selvagens como uma ameaça às suas vidas. Martin Páv observa, de forma imparcial, uma crescente e acalorada disputa entre os dois lados.

 

Nomeado pelo festival DOK Leipzig:

Never Whistle Alone
De Marco Ferrari
Produção: Candy Glass, Basemen, VPRO, Itália, 2019
Never Whistle Alone é uma história colectiva, contada por sete whistleblowers (autores de uma denúncia). O filme não é uma reportagem sobre os seus casos. Pretende, antes, revelar uma prática discriminatória, enraizada na nossa cultura de trabalho: pessoas que denunciam crimes de colarinho branco, em vez de serem reconhecidas, são consideradas traidoras e, em último caso, tornam-se vítimas das próprias organizações que denunciam.” – Marco Ferrari

 

Nomeado pelo festival Visions du Réel:

El father como sí mismo / El Father Plays Himself 
De Mo Scarpelli
Produção: Rake Films, Ardimages, La Faena Films, Venezuela/Reino Unido/Itália/EUA, 2020
Quando Jorge deixou a Venezuela, ainda em criança, o seu pai ficou lá. Num país em que luta para reconhecer, o filho está agora a fazer um filme de ficção sobre o passado tumultuoso do pai nas minas de ouro ilegais da selva amazónica. Com determinação, o filme desenha o retrato desta relação complexa.