20–11–20

Um olhar sobre a segunda edição do Nebulae’20

A segunda edição do Nebulae, o espaço de networking do Doclisboa, encerrou no passado dia 1 de Novembro, após 11 dias de actividades intensas e variadas dirigidas aos profissionais do setor como também ao público mais alargado do Festival. 

A edição decorreu inteiramente em formato digital entre dia 22 de Outubro e 1 de Novembro. Foram mais de 50 os países representados, mais de 800 os convidados acolhidos, consolidando a dimensão internacional do projecto e reafirmando o reconhecimento da parte de produtores, realizadores e outros profissionais do setor que, cada vez mais, encontram no Doclisboa e no Nebulae um espaço de referência no panorama internacional de festivais. 

Em diálogo com a programação do Doclisboa, o País Convidado desta edição foi a Geórgia, apresentando uma mesa redonda sobre cinema georgiano e uma selecção de 8 projectos em desenvolvimento que tiveram a oportunidade de dar a conhecer o seu trabalho a um público alargado de profissionais. O Nebulae acolheu também o encontro “Pensar práticas laborais através do cinema” onde, para além de uma conversa com alguns dos realizadores com um filme seleccionado na secção Corpo do Trabalho, foram anunciados os vencedores do Prémio Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis, resultado da parceria com a Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho (EU-OSHA).

Um conjunto de 18 masterclasses, mesas redondas, encontros e conversas, parte do programa Constelações, abordaram alguns dos tópicos mais relevantes na atualidade e proporcionaram momentos de encontro e networking virtuais para produtores, distribuidores, exibidores e realizadores nacionais e internacionais.  Foram ainda realizadas 63 sessões de Consultoria, destinadas a realizadores e produtores com um filme em estreia mundial ou internacional no Doclisboa que tiveram a oportunidade de conversar com profissionais da indústria  de diferentes territórios. 

O programa Estado da Arte, organizado em parceria com os Centros Europa Criativa – Media Desks de Portugal, Áustria, Espanha (Euskadi) e Itália (Turin), reuniu alguns dos mais importantes representantes internacionais para discutir e debater acerca de práticas de circulação e modelos de distribuição e o Seminário de Realização, desenhado em colaboração com a Union Docs – Center for Documentary Art, acolheu, após análise de cerca de 60 candidaturas, uma selecção de 20 participantes internacionais que, ao longo de dois fins de semana, abordaram o trabalho de 4 artistas cujos filmes formam parte da 18ª edição do Doclisboa. 

Ao longo dos 11 dias do Nebulae foram também apresentados 12 projectos em desenvolvimento e 3 projectos de crítica e investigação seleccionados no Arché, o espaço de desenvolvimento criativo da Apordoc – Associação pelo Documentário. Os realizadores deram a conhecer o seu trabalho ao público nacional e internacional de profissionais presentes no Nebulae e tiveram a oportunidade de trabalhar os seus projectos nas oficinas de desenvolvimento. As actividades do Arché continuam a decorrer até ao mês de Dezembro de 2020, com o programa RAW: Residências Arché->Work, programa itinerante que inclui a participação no Arché, uma residência artística (este ano online) e a participação no laboratório MRG//Work do festival espanhol Márgenes; e com a sua 4ª edição no Porto/Post/Doc, a decorrer online entre os dias 23 e 27 de Novembro. 

Acompanhando o novo formato do Doclisboa’20, o Nebulae irá ainda apresentar a mesa redonda “O Passado e o Presente – na produção cinematográfica portuguesa”, encontro presencial a ter lugar no dia 9 de Dezembro, pelas 17.00, na Culturgest e um encontro entre produtores e realizadores portugueses, a ter lugar em Março, durante o último momento do Festival, em data e horário ainda a anunciar.