Mesa Redonda

Pensar práticas laborais através do cinema

Este ano, o Doclisboa lança uma nova parceria com a Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho (EU-OSHA). Antes de acolher a competição pelo Prémio Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis em 2021, na edição deste ano do Festival será apresentado um vasto programa de filmes que se traduz num panorama contemporâneo de práticas laborais e numa perspectiva histórica da forma como o emprego e o trabalho vêm sendo há tanto tempo representados no cinema. A 28 de Outubro, às 15.00 (TMG:00), convidamos realizadores do programa para participarem num debate sobre o contributo das ferramentas cinematográficas para uma discussão mais abrangente sobre emprego e trabalho em termos sociais e políticos. Antes do debate, a EU-OSHA anunciará o vencedor do Prémio Locais de Trabalho Seguros e Saudáveis deste ano.

 

Introdução
Christa Sedlatshek (directora, EU-OSHA)
Bruno Thiebaud (gestor de comunicação, EU- OSHA)
Leena Pasanen (directora do Festival Biografilm e antiga directora do DOK Leipzig)
Miguel Ribeiro (co-director do Doclisboa)

Oradores
Elisa Cepedal, El trabajo o a quién le pertenece el mundo
Jonas Heldt, Automotive
Lee Anne Schmitt, California Company Town 

Moderação
Amarante Abramovici (programadora do Doclisboa)

 

Sobre os oradores

Elisa Cepedal
Realizadora e montadora. As suas curtas-metragens La playa (2010) e Ay pena (2011) foram exibidas em vários festivais internacionais de cinema. Em 2018, o Festival Internacional de Cinema de Gijón fez uma retrospectiva das suas curtas-metragens. A sua primeira longa-metragem, El trabajo o a quién le pertenece el mundo (2019), estreou em Gijón e recebeu o Prémio Especial do Júri. Trabalhou como montadora com Milagros Mumenthaler e Terence Davies.

Jonas Heldt
Na escola primária, Jonas Heldt queria fazer filmes sobre a vida selvagem. O avô era operário siderúrgico numa fundição. Na pequena aldeia da Baviera onde Jonas Heldt cresceu, considerava-se que quem tivesse um carro alemão tinha tido sucesso na vida. Mudou-se para Berlim, onde trabalhou em teatro, como produtor de rádio e porteiro à noite.

Lee Anne Schmitt
Cineasta cujo trabalho anda em torno da paisagem, dos objectos e dos vestígios de sistemas políticos aí encontrados. As suas obras têm sido mostradas em locais como o MoMA, Getty ou Pompidou e festivais como Viennale, CPH/DOX, IFFR e FID Marseille. Foi bolseira da Fundação Graham, Creative Capital e Guggenheim. Está a trabalhar num conjunto de filmes fazendo uso de objectos pessoais para analisar a forma como o trauma afecta as estruturas narrativas.

 

O evento será transmitido em live streaming nas páginas YouTube e Facebook do Doclisboa.

28 OUT / 15.00 - 16.30 (UTC+0)
Zoom Meetings

• Entrada livre

• Sessão conduzida em inglês, sem tradução

Constelações